domingo, 18 de maio de 2014

E lá vou eu para mais uma travessia Petrópolis - Teresópolis. Ou não?

Na Travessia: Dorso da Baleia

As vésperas de mais uma ida Açu, com intuito de fazer a mais clássica travessia do Brasil, lembranças recentes vêem a minha cabeça. A frustração de nos três últimos anos de não ter conseguido fazer. Um por problema de data, outra por problema de logística (o responsável pela corda não foi no final das contas) e outra por problema de mal tempo. Como consolo acabei por conhecer o belíssimo Portais de Hércules, mas sinceramente preferia ter feito a travessia nas três vezes.

A minha última vez foi em 2010. Até então fiz nos outros 2 anos seguidos (2008 e 2009). Quando chegou em 2011 a data inicialmente marcada pelo grupo foi vítima pela desistência em série de diversos membros. Restaram apenas quatro e nenhum deles com um item essencial para a travessia: A corda. Lá no Açu conhecemos um dos supervisores, que até ofereceu deixar a corda no cavalinho e depois nós pegaríamos e entregaríamos a ele, mas já não havia consenso no grupo, e pintou a chance de ir ao Portais de Hércules, pois eu havia levado o guia de trilhas do Parnaso. Enfim fizemos o Portais de Hércules e de fato é um espetáculo de mirante. Não tenho como descrever. Só indo lá para ver. A visão que você tem é do lado contrário dos famosos "Orgãos" da Serra, que na verdade remetente ao instrumento musical das igrejas antigas católicas, e não a orgãos do corpo humano. Mesmo assim ainda ficou a frustração de não ter feito a travessia. Uns dois ou três meses depois este mesmo grupo resolveram fazer a travessia. Não pude mais ir, pois havia programado as minhas férias para justamente coincidir com a data do evento. Eu nuca falei nada na época, mas fiquei chateado com o ocorrido.

Portais de Hércules

Em 2012, não me lembro exatamente o motivo, mas não consegui um grupo com corda para fazer a travessia. Restou fazer novamente o Portais de Hércules. Porém acrescentamos o "Caminho do Índio" e o Pico do "Falso Eco", que na verdade é um morro que antecede ao Pico do Eco. Linda vista, mas nada de travessia neste ano.

Em 2013 resolvi o meu problema de corda: Eu comprei. Planejamos faze-la em quatro dias. No primeiro dia subiríamos ao Açu, no segundo Portais de Hércules, no terceiro a travessia e finalmente no quarto dia desceríamos do Sino. Bom. Até a parte do Portais de Hércules conseguimos, mas no dia da travessia o tempo fechou de uma tal forma, que não se conseguia ver um palmo a frente. Do grupo apenas alguns  tiveram o bom senso de abortar, inclusive eu, o restante foram, se garantido pelo GPS, pela nova sinalização do parque e por duas pessoas com experiência de escalada. Conseguiram ver nada da paisagem, passaram por algumas dificuldades, mas completaram o percurso. Ah, e minha corda foi com eles. Desde então eu ainda não a resgatei.


Visibilidade péssima no Açu.

No início de Junho estarei retornando lá para mais uma tentativa. Porém eu a farei de qualquer forma. Se não der para fazer agora, em outra data neste ano acontecerá. Seja em um dia, dois ou três dias. Mas que eu farei, eu farei. Ah se farei.

O que aprendi:

  • Motivação é algo essencial para fazer este percurso e outros na sua vida;
  • Nunca desista dos seus objetivos, mas saiba avaliar com sabedoria, e não com sentimentos se é possível transpor neste momento ou não. Como costumamos dizer "A Montanha não vai sair do lugar";
  • Tenha capacidade de interagir em grupo, mas se membros do grupo não tem a capacidade para suprir a necessidade de todos, capacite-se;
  • Tenha sempre uma plano "B";
  • Aprenda a perdoar, pois um dia você precisará também de perdão.

Novas Mochilas Osprey - Linha Exos

As mochilas mais leves da Osprey Review by Arco e Flecha.